Teatro

Clique no profissional ao lado para ver mais detalhes

Ronaldo Robles

Ator, diretor e dramaturgo

Ronaldo Robles nasceu na cidade de São Paulo, em 25 de maio de 1970. Artista plástico, performer e diretor. É formado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), com ênfase em Antropologia do Teatro e do Drama.

Encontra no teatro de sombras o caminho para expressar suas ideias e pesquisar sua arte.

Fundador da Cia. Quase Cinema, de Taubaté, interior de São Paulo, onde atualmente dirige, escreve e atua nos espetáculos, dando especial tratamento para a pesquisa imagética, espacial e simbólica das sombras.

______________________________

- Promove peças, oficinas, seminários, palestras e workshops de teatro de sombras - Simulacro das Sombra

O laboratório das sombras é um espaço para experimentação e reflexão sobre o teatro de sombras contemporâneo e as novas descobertas da Cia Quase Cinema para um teatro de sombras na rua.  Após a oficina, Ronaldo coordenará uma sessão de projeções, demonstrando o resultado do workshop.

 

Vídeo

Francisco Carvalho

Seu nome artístico é Francisco Carvalho, ator nascido no Piauí e presente na televisão brasileira há mais de três décadas.

Em 2012 ele apareceu na televisão vivendo o rabugento (e divertido) Seu Galdino na novela “Salve Jorge”, de Glória Perez. Era o dono de uma pequena loja no Morro do Alemão, um tanto moralista e implicante. No mesmo ano ele deu vida à personagem Bodelér Sampaio, em “O brado retumbante”, de Euclydes Marinho.

Ele viveu o Nijienigi (“padre” ou pajé, na língua Kadiwéu), da novela “Alma Gêmea” (2005-2006), exibida pela Rede Globo de Televisão. No “Espelho d’ água – uma viagem no Rio São Francisco”, filme de 2004 dirigido por Marcus Vinícius Cesar, o ator recebeu o prêmio de melhor coadjuvante no Cine PE – Festival do Audiovisual.

O ator faz parte do elenco da peça teatral "Vidas Secas", do romance de Graciliano Ramos. 

Trabalhos na TV

•          2016 - Velho Chico - Silvino

•          2012 - Salve Jorge - Seu Galdino

•          2012 - O Brado Retumbante - Bodelér Sampaio

•          2010 - Passione - Chicão

•          2009 - Som & Fúria

•          2008 - Dance, Dance, Dance - Lourival de Almeida

•          2007 - Amazônia, de Galvez a Chico Mendes - Moacir

•          2006 - Cidadão Brasileiro - Argemiro

•          2005 - Malhação - Sebastião (Mendigo)

•          2005 - Alma Gêmea - Zé Carreteiro (pai de José Aristides)

•          2004 - Começar de Novo - Raimundo Flamel

•          2003 - Chocolate com Pimenta - Horácio

•          2002 - Esperança - Marcos

•          2001 - Presença de Anita - Joel

•          2000 - O Cravo e a Rosa - Adriano

•          1999 - Terra Nostra - Zé Bento

•          1998 - Torre de Babel - Assunção

•          1997 - Por Amor - Caveirinha

•          1996 - O Rei do Gado - Mauriti

•          1995 - História de Amor - Zé

•          1995 - Engraçadinha... Seus Amores e Seus Pecados - Wilson

•          1994 - Memorial de Maria Moura - Dom Agostinho de Miranda

•          1993 - Agosto - Raimundo

•          1992 - Pedra sobre Pedra - Super Téo

•          1991 - O Dono do Mundo - Jim Carroll

•          1990 - Mico Preto - Alexandre

•          1989 - O Salvador da Pátria - Tubarão

•          1987 - Mandala - Ted Lover

•          1987 - Sassaricando - Guilherme

•          1986 - Roda de Fogo - Capitão Antunes

•          1984 - Vereda Tropical - Dagoberto

•          1983 - Caso Verdade, História de Pescador - Jorge Tadeu

No cinema

•          2011 - Desaparecidos - Pescador

•          2006 - Canta Maria - Zé Fernandes

•          2004 - Espelho d'Água - Uma Viagem no Rio São Francisco - Abel

Vídeo

Ronaldo Ciambroni

Ronaldo Ciambroni (São Paulo, 16 de setembro de 1948) é um autor, diretor e ator brasileiro. Foi o dramaturgo brasileiro que mais prêmios recebeu no cenário artístico, além de o autor teatral brasileiro que mais fez peças sobre a temática transgênera. Foi considerado pela crítica, em 1999, o melhor adaptador das histórias de Monteiro Lobato, com a peça O Terror dos Mares.

Começou sua carreira em 1969 fazendo peças infantis. Para teatro foram mais de cinquenta textos, entre os quais mais de quinze ganharam prêmios nacionais e internacionais, tanto no infantil como no adulto. Não escreveu apenas comédias, mas também textos comoventes como Donana, que comemorou trinta anos em cartaz e foi o espetáculo brasileiro mais premiado dentro e fora do pais. Trabalhou com Thelma Lipp nas peças Mil e Uma Noites, As Filhas da Mãe e Teresinha de Jesus. Auxiliou no processo de transição das grandes musas do cinema nacional (musas da pornochanchada) para o teatro: Aldine Müller, Zaira Bueno, Helena Ramos, Patrícia Scalvi e Zilda Mayo.

Em televisão escreveu programas para a Rede Globo, Rede Manchete, Rede Record e SBT. E mais de dez telenovelas, como Canoa do Bagre, Olho da Terra, Direito de Vencer, Antônio Alves, Taxista, entre outras.

“Eu sou um ator. Faço papéis de homem e de mulher. Sou um cabide para qualquer personagem.”

CARREIRA

Televisão

•             Vila Sésamo - TV Cultura / TV Globo

•             A Praça é Nossa - SBT

•             Chão de Estrelas - especial sobre a vida de Sílvio Caldas

•             Clube da Criança - TV Manchete

•             A Justiça dos Homens - série - SBT

•             Ô Coitado – SBT (1999/2000)

•             Meu Cunhado – SBT (2002/2004)

 

Novelas:

•             Antônio Alves, Taxista - SBT (1996)

•             Irmã Catarina - Associação do Senhor Jesus / Rede CNT (1996)

•             Canoa do Bagre - Rede Record (1997/98)

 

Minisséries:

•             Recomeçar

•             A Filha do Demônio - Rede Record (1997)

•             Direito de Vencer - Rede Record (1997)

•             Olho da Terra - Rede Record (1997)

 

Peças teatrais

•             A Dona da Bola,

•             "A Vaca Lelé" (infantil)

•             Acredite, um Espírito Baixou em Mim"

•             Adeus Fadas e Bruxas (infantil)

•             As Filhas da Mãe

•             As Moças do Segundo Andar

•             Como o Vento

•             Contos de Bruxas (infantil)

•             De Artista e Louco Todo Mundo Tem um Pouco

•             Donana

•             Geração Coca-Cola

•             Golpe Certo

•             Menino Não Entra, Menina Não Entra (infantil)

•             Miss Brasil Sou Eu,

•             " O Palhaço era Meu Tio" (infantil)

•             O Palhaço Imaginador (infantil)

•             O Terror dos Mares

•             Pop, a Garota Legal (infantil)

•             Pop, Boi da Cara Preta (infantil)

•             Romeu e Romeu (1984)

•             Se Essa Rua Fosse Minha

•             Terezinha de Jesus (1977)

•             Tucunaré, a Filha da Lua (infantil)

•             Um Louco em Minha Cama

•             Uma Certa Carmem

•             Uma Empregada Quase Perfeita

•             O Fantasma da Minha Sogra

•             " Rapunzel, A Menina dos Cabelos Dourados" (2012) (INFANTIL)

•             " Branca de Neve, O Conto"

•             " O Gato de Botas"

Vídeo

Lena Roque

Lena Roque

Atriz, diretora, dramaturga, mulher, negra, artista!

O trabalho surge de uma necessidade, uma necessidade de falar, a gente quer falar e tem pouco espaço, então se a gente não fizer, não vai conseguir falar nada do que a gente quer!

Sobre Lena Roque: 
Aos 48 anos, a paulistana Lena Roque é uma atriz reconhecida pela versatilidade e veia cômica. Formada em Artes Cênicas pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), tem 30 anos de carreira, com trabalhos em cinema, teatro, teatro de máscaras (comédia dell’arte, clown), teatro de rua e TV. Se notabilizou nos palcos em espetáculos como Domésticas, direção de Renata Melo; Dúvida, direção de Bruno Barreto e Frenesi, direção de Naum Alves de Souza. No cinema, atuou em Domésticas (Fernando Meirelles e Nando Olival), Quanto Vale ou é por Quilo? (Sergio Bianchi). Na televisão, participou das novelas Essas Mulheres (Record); Pícara Sonhadora(SBT); e Sete Pecados(Globo).

Arte-educadora, ministra oficinas de teatro e de preparação de atores. Escreveu quatro textos teatrais, “Alto Falante”, “Autópsia”, “Impressões” e o “Decálogo”, roteiros e o livro de poesias “Impressões”.

A Lena adaptou, dirigiu e atua no monólogo “Louca de Amor, Quase Surtada”,

Vídeo


2016 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por BluePixel